A princípio a região Sul do Brasil teve influência dos indígenas, colonizadores europeus e dos africanos trazidos escravizados na sua formação cultural. Dessa forma, a culinária seguiu o mesmo padrão: apresentando uma diversidade de pratos e ingredientes capaz de agradar aos paladares mais exigentes.

O churrasco talvez seja um dos principais elementos dessa mistura. Sendo apreciado quase que como um ritual familiar no Rio Grande do Sul, principalmente. Mas essa cozinha conta ainda com outros destaques como o café colonial e fortes elementos da cozinha alemã.

De qualquer forma, um roteiro gastronômico pela região Sul do país é certeza de se deparar com pratos tradicionais e outros até inusitados. Mas nem por isso menos saborosos. Confira nossa lista.

Paraná

A culinária do Paraná é bastante influenciada pelas imigrações europeias, que trouxeram além de alguns costumes, muitos pratos típicos. O principal deles é o famoso barreado.

O prato consiste em um ou mais tipos de carne bovina de segunda e magra, como a paleta, a maminha e o patinho, temperados com cebola, alho, toucinho de porco, pimenta-do-reino, louro e cominho e cozida até desmanchar.

O modo de preparo do prato é um verdadeiro ritual. A carne é feita em uma panela de barro por mais ou menos 12 horas vedada. Esta técnica é para que o vapor não escape. Depois de pronto, a iguaria é servida acompanhada de farinha de mandioca, arroz e banana. Uma delicia!

Pratos tradicionais na mesa e festividades do Sul

Outro prato super apreciado na região, que inclusive ganhou até uma festa em sua homenagem, é o carneiro no buraco. Prato tradicional paranaense, o carneiro é preparado em um tacho de ferro com legumes e tubérculos, colocado em um buraco no chão em cima de brasas, um costume dos índios. 

A festa do carneiro no buraco tem três dias de duração, comemorada sempre no mês de julho, desde 1990, com objetivo de passar a receita do carneiro e esse costume de assá-lo em um buraco para as novas gerações.

carneironoburaco - Roteiros gastronômicos do Brasil - Região Sul
Carneiro no buraco: preparado e pronto para ser degustado – Foto: Ministério do Turismo

Do mesmo modo, os pratos tropeiros, bastante tradicionais, foram criados a partir do século XVIII. Neste período, o Paraná passava por uma época de tropeirismo, que consistia no transporte de mercadorias utilizando animais. Dentre elas milho, toucinho, charque, farinha de mandioca, arroz e feijão. Dessa forma, a mistura dessas  mercadorias originou o feijão tropeiro e o arroz carreteiro, duas delícias sem igual, apreciadas na verdade em todo o Brasil.

Por último, um dos pratos mais importantes, trazidos pelos imigrantes alemães, é o Eisben, que na verdade é um jeito tradicional de preparar o joelho de porco. Literalmente, Eisbein significa perna (Bein) de gelo (Eis), e há uma série de versões para explicar o nome.

Apesar de em português usarmos o termo joelho de porco, o Eisbein é o pedaço entre o joelho e o tornozelo do animal. E, dependendo da região, a carne tem um nome diferente.

Além dos próprios moradores, o prato é apreciadíssimo entre os turistas. Principalmente os fans de roteiros gastronômicos.

Santa Catarina 

Assim como os estados do Nordeste, a culinária de Santa Catarina é baseada nos frutos do mar, como não poderia deixar de ser. Mas é possível também encontrar outros delicioso pratos que fogem essa regra. A maior parte deles baseadas na gastronomia alemã.

Um dos mais conhecidos dessa herança entre brasileiros e germânicos é o marreco com repolho roxo. O prato é feito à base de marreco, marinado com temperos e vinho branco por 24 horas. Depois é cozido até que a carne fique macia (cerca de cinco horas e meia). Após cozido, o marreco é assado até dourar e em seguida, numa panela a parte, refogado com repolho roxo e Maçã. Vale muito experimentar!

Frutos do mar como ingredientes principais

Outros pratos que são bem comuns na região contém ostras, lagostas, peixes e camarão Laguna, que é muito saboroso. Similarmente, a tainha é um peixe de água salgada que é bastante conhecido entre eles. É bastante comum nos locais de vendas ter esse peixe, sendo frito, assado ou recheado de ovas.

Camarão servido com tomate
Camarão Laguna servido em São Francisco do Sul

Quem vem a região também não pode deixar de experimentar a bijaica, tradicionalmente servida no café da manhã ou da tarde. Esta delícia catarinense é uma espécie de biscoitinho doce feito com farinha de mandioca, açúcar mascavo e amendoim moído.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul a culinária também sofreu grandes mudanças logo após a chegada dos colonos, neste caso, os alemães e italianos. Mas esses impactos não foram suficientes para deixar de lado os costumes brasileiros, que logo foram se misturando com ingredientes locais.

O gaúcho, como todos nós já sabemos, é apaixonado por churrasco. Dessa forma, é impossível pensar em se fazer um roteiro gastronômico por esse estado sem inclui-lo na lista.

“Foi natural o processo da carne assada sobre um fogo de chão se tornar o prato tradicional da região, tendo em vista que o Rio Grande do Sul foi a primeira maior área de criação bovina no país. Preparado a partir da carne espetada e pousada sobre a brasa, o churrasco é uma refeição fácil de preparar, levando poucos ingredientes: apenas o sal grosso e a carne.”

Estados e capitais do Brasil

Similarmente, o chimarrão, conhecido no país todo é também muito benquisto no Rio Grande do Sul. Sendo ele o companheiro para os gaúchos no café da manhã ou no fim da tarde. O chimarrão é feito de ervas, que alguns médicos confirmam que podem ser medicinais.

40007863585 926ec11f79 z - Roteiros gastronômicos do Brasil - Região Sul
O Chimarrão é sem dúvidas uma das principais expoentes da culinária gaúcha – Foto: Ministério do Turismo

Charque ou carne seca?

O charque também é um dos alimentos mais consumidos pelos gaúchos. Originada a época dos tropeiros, que ao retornarem para o Rio Grande do Sul encontraram milhares de cabeças de gado, e começaram a vender o couro cru para outros estados. Para usar a carne como alimento e conservá-la em suas viagens longas, eles a rolavam em sal grosso para desidratá-la.

Em outros estados, o charque pode ter outros nomes, tais como carne seca. Essa receita e práticas espalharam-se por todo Brasil,  comumente servida com arroz ou mesmo na paçoca, que fica uma delícia.


Já conferiu os outros artigos da nossa série Roteiros Gastronômicos pelo Brasil? Embarque nessa viagem gastronômica pelas 5 regiões do país e descubra pratos deliciosos e que fazem parte do dia-a-dia da nossa gente.

Gostou? Compartilhe nas suas Redes Sociais! :)