Uma viagem ao Jalapão não é uma simples viagem – e sim uma verdadeira expedição.

Formado por 5 grandes áreas de conservação, incluindo um parque estadual, a região do Jalapão é sem dúvidas uma das mais exuberantes do país.

Cachoeiras de águas cristalinas, piscinas naturais – os incríveis fervedouros – chapadões e um deserto de dunas alaranjadas de até 40 metros conferem ao destino esse status.

A rica fauna local também é um grande atrativo: não surpreenda-se ao avistar durante seus passeios animais como emas, araras-azuis, antas, capivaras, lobos guarás e com muita sorte (?), até onças.

Por aqui é preciso ter fôlego para encarar a aventura: o acesso a maior parte dos atrativos é feito apenas por estradas de terra, um espécie de rali que por si só já é um grande atrativo para quem visita a região.

Aventura no Jalapão

Aventura no Jalapão. Foto: Ministério do Turismo.

Há tanto a se descobrir no Jalapão que é preciso mais do que quatro ou cinco dias para explorar o local. Portanto programe-se para não perder nada.

Agências locais costumam oferecer pacotes em que já estão inclusos o transporte até os atrativos, ingressos (alguns atrativos como os fervedouros estão localizados em propriedades privadas), e serviços de hospedagens, alguns deles em áreas de camping no próprio parque, ideal para quem quer curtir cada segundo da aventura.

O que fazer no Jalapão

Amantes do ecoturismo e do turismo do aventura encontram aqui um verdadeiro “parque de diversões” a céu aberto.

A maioria dos atrativos está localizada nas cidades de  Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Em meio a 34 mil km² de paisagem árida, onde você poderá curtir atividades como o rafting, a canoagem, o rapel e as trilhas a pé e de bicicleta.

Suas águas abundantes, chapadões e serras com clima de savana, além da paisagem do cerrado, rios, nascentes e impressionantes formações rochosas formam juntos o cenário perfeito para uma viagem completamente voltada aos atrativos naturais.

Fervedouros

Fervedouros do Jalapão
Fervedouros do Jalapão. Foto: Ministério do Turismo

Os fervedouros são o grande atrativo para quem visita o Jalapão.

Para quem nunca ouviu falar deles, os fervedouros são poços formados por águas subterrâneas que emergem com tanta pressão que impede os banhistas de afundarem.

A experiência é simplesmente incrível.

Há fervedouros de vários tamanhos, formatos, cores e intensidade da flutuação, todos localizados em aéreas particulares ao longo da TO-110, estrada que liga as cidades de Mateiros e São Félix.

Fervedouros do Jalapão - Tocantins. Foto: Ministério do Turismo
Fervedouros do Jalapão – Tocantins. Foto: Ministério do Turismo

O ingresso, cobrado por pessoa, varia entre R$ 10 e R$ 25 reais, valor bem pequeno se comparado com a experiência única que equipare-se a verdadeiras piscinas de hidromassagem a céu aberto.

O mais famoso deles é o Fervedouro do Ceiça, na cidade de Mateiros, com capacidade para até dez pessoas e cercado por bananeiras intensamente verdes que tornam o atrativo ainda mais espetacular.

Fervedouro do Ceiça, Jalapão - Tocantins
Fervedouro do Ceiça. Foto: Ministério do Turismo

O Fervedouro Bela Vista, na cidade de São Félix do Tocantins, é um dos mais bonitos da região, com águas incrivelmente azuladas e ainda com boa estrutura formada por restaurantes, área de camping e um deck de madeira.

Já o Fervedouro do Alecrim compara-se ao Bela Vista em formato e beleza. A diferença está na cor de suas águas, que neste apresenta incríveis tons de verde.

Uma ponte de madeira em meio a densa vegetação permite o acesso ao fervedouro, que tem capacidade média para até seis pessoas.

Ponte no fervedouro Bela Vista
Ponte no fervedouro Bela Vista. Foto: Ministério do Turismo

Além destes, outros fervedouros como o Fervedouro Encontro das Águas, que destaca-se pela enorme potência da nascente, que faz com que seja o mais forte do Jalapão, o Fervedouro do Buritizinho, com águas super cristalinas e o Fervedouro do Rio Sono também devem, sem dúvidas, fazer parte do seu roteiro de viagens.

Cachoeiras

Não à toa o Jalapão é conhecido como o Deserto das Águas, isso porque embora esteja localizado em pleno cerrado, há diversos rios que cortam a região, formando incríveis cachoeiras para você refrescar-se nos típicos dias de calor na região.

A maior delas é a Cacheira da Velha. Alimentada pelas águas do Rio Novo, são duas quedas d’água que completam juntas, cerca de 100 metros de largura e 15 de queda livre.

Cachoeira da Velha - Jalapão
Cachoeira da Velha – Jalapão. Foto: Ministério do Turismo
Cachoeira da Velha - Jalapão
Cachoeira da Velha – Jalapão. Foto: Ministério do Turismo

Por conta de sua grandiosidade não é permitido tomar banho aqui, mas é possível aventurar-se ao fazer um rafting pela cachoeira, experiência que garante uma boa dose de adrenalina ao seu roteiro de viagem.

Se a sua ideia for simplesmente contemplar a natureza, há um mirante construído bem próximo à cachoeira de onde é possível ter uma visão espetacular do local.

A Cachoeira do Formiga, a 36 km de Mateiros, é uma das mais bonitas da região, com a vantagem de que aqui os banhos são permitidos e por quê não dizer, indispensáveis.

A queda d’água não é muito grande, mas impressiona por formar uma incrível piscina com águas de intenso verde esmeralda, perfeita para deliciosos mergulhos refrescantes.

Bem ao lado da Cachoeira do Formiga você encontrará também outra piscina natural, essa bem menor se comparada a formada pela cachoeira, sendo perfeita para os visitantes que não sabem nadar.

Outro grande atrativo por aqui é a Cachoeira do Rio Soninho, a 68 km da cidade de Ponta Alta do Tocantins.

Sua queda de 30 metros de altura inviabiliza o banho, assim como a Cachoeira da Velha, compensando os visitantes claro, com um belíssimo espetáculo da natureza.

Um curioso fenômeno que certamente também deixará você intrigado por aqui, é ver o imenso volume de águas desaparecer em meio a fendas e buracos esculpidos na paisagem. Mais uma façanha da natureza que por aqui surpreende de muitas formas.

Poucos metros acima do rio você encontrará a Cachoeira do Rio Soninho Pequena, outra queda d’água formada no mesmo rio, essa menor e acessível para banhos.

Cachoeira da Soninho Pequena, Jalapão - Tocantins
Cachoeira da Soninho Pequena. Foto: Ministério do Turismo

Por aqui, um grande platô de pedra, bem raso, serve de descanso para os turistas em meio à água, perfeito para você dar aquela descansada.

Cachoeira da Soninho Pequena, Jalapão - Tocantins.
Cachoeira da Soninho Pequena. Foto: Ministério do Turismo

Ao final, uma queda forma deliciosas banheiras de hidromassagem onde é possível sentir a água nos ombros e relaxar junto à natureza. O acesso a essas cachoeiras é feito por uma trilha bem curta que permite chegar até praticamente a beira do rio até mesmo de carro.

A Cachoeira das Araras também não pode ficar de fora do seu roteiro.

Parada estratégica para quem está saindo de São Félix do Tocantins rumo a Palmas, já pegando a estrada para à capital, a cachoeira não tem uma queda muito grande, mas conta com um cenário espetacular onde um paredão de pedras é repleto de verde, dando ao lugar um “visual” espetacular.

Cânion do Sussuapara

Cânion do Sussuapara.
Cânion do Sussuapara. Foto: Ministério do turismo.

O Cânion do Sussuapara é um dos primeiros atrativos para quem está chegado ao Jalapão – Tocantins.

Localizado a cerca de 12 km de Tocantins, em Ponte Alta do Felix, uma das cidades base para quem está visitando a região, é comum que agências escolham esse ponto como uma das primeiras paradas de seus roteiros.

Aqui, os paredões com cerca de 15 metros de altura abrem-se para dar passagem à uma pequena cascata de onde brotam águas super cristalinas durante o ano todo, formando uma espécie de poço onde você poderá aproveitar deliciosos banhos.

Cânion do Sussuapara, Jalapão - Tocantins
Cânion do Sussuapara. Foto: Ministério do Turismo

Para chegar até o Cânion é preciso percorrer uma trilha bem curta que dura em média 15 min. A descida é bastante íngreme, portanto, é preciso ter equilíbrio e bom condicionamento físico.

Uma lenda local diz que a cascata que cai dos paredões do Cânion do Sussuapara é capaz de realizar desejos – basta você entrar embaixo da água, fechar os olhos e fazer o pedido. Não custa tentar, né?

Serra do Espírito Santo

Serra do Espírito Santos - Jalapão - Tocantins
Serra do Espírito Santos – Jalapão. Foto: Ministério do Turismo

A Serra do Espírito Santo é um dos cenários mais encantadores do Jalapão – e olha que são muitos.

Os montes, formados há milhares de anos atrás, bem ao lado das dunas do Jalapão, que aliás surgiram a partir da erosão desses imensos platôs, conferem ao local um cenário quase que hipnotizador para quem os avista.

Além de ser um belo cenário para quem está na estrada, a Serra do Espírito Santo é uma das melhores e mais difíceis trilhas do Jalapão, desafiando até aos mais experientes.

Para quem topar o desafio, a subida da Serra começa sempre bem cedo, em geral às 3h30, bem antes dos primeiros raios de sol surgirem. É preciso seguir de carro até o pé da Serra de onde inicia-se a trilha com quase 700 metros.

Durante o trajeto, há vários bancos que servem de apoio para tomar um ar e seguir o trajeto. Logo no final da subida, já estará o principal mirante da Serra do Espírito Santo, de onde se observa o nascer do sol.

A partir desse mirante, são mais 3 km de caminhada até chegar ao segundo ponto de observação, de onde se pode ver as Dunas do Jalapão. 

Difícil ou não, o fato é que é a vista aqui de é cima é simplesmente espetacular! Ter a oportunidade de ver o nascer do sol a partir deste ponto é uma experiência inigualável e que certamente valerá o seu esforço.

Para a subida, é importante utilizar roupas e itens específicos para trilhas como botas fechadas lanternas, além de muita água e opções de lanches leves e saudáveis.

Dunas do Jalapão

40211368875 2043b18a5c k 1024x575 - Jalapão - O que fazer e como chegar

O conjunto de areias super douradas, formadas a partir da erosão das imensas rochas de arenito que formam a Serra do Espírito Santo, ajudam ao viajante entender porque o Jalapão tornou-se um dos destinos mais desejados pelos amantes do ecoturismo.

O visual é paradisíaco, ganhando diferentes tonalidades de acordo com os raios solares, intensificando o dourado das areias justo no pôr do sol, ponto alto da visitação as dunas.

O caminho até o local é feito de carro e no trajeto é possível curtir ainda o lago que espelha a Serra do Espírito Santo e os buritis que crescem em meio à vegetação. A partir do estacionamento, serão mais vinte minutos de caminhada até o topo da duna principal.

Parque Estadual das Dunas do Jalapão
Dunas do Jalapão – Tocantins. Foto: Ministério do Turismo
Parque Estadual das Dunas do Jalapão
Parque Estadual das Dunas do Jalapão. Foto: Ministério do Turismo

Do alto da duna, é possível ver “todo o deserto” formado em meio ao cerrado. Caminhando nas dunas menores, é possível ver de perto as águas que cortam a região e as flores que tornam o cenário ainda mais incrível.

As Dunas do Jalapão estão localizadas dentro do Parque Estadual do Jalapão. O acesso é gratuito e o local permanece aberto até 18h.

Pedra Furada

Pedra Furada - Jalapão
Pedra Furada – Jalapão. Foto: Ministério do Turismo.

O pôr do sol na Pedra Furada é comparável à beleza do pôr do sol nas Dunas do Jalapão.

A formação de arenito em meio ao cerrado ganhou buracos naturalmente esculpidos pelo vento há milhares de anos, tornando o lugar ainda mais especial.

No fim da tarde, o sol entra pelas frestas da rocha e fazem da Pedra Furada um ponto imperdível para investir em lindas fotos do Jalapão.

Para chegar até ao local é preciso fazer uma pequena trilha de carro que leva em média 5min dentro da propriedade particular onde está localizada a pedra.

Já para se chegar até o topo da pedra e ver o pôr do sol a caminhada é mais difícil, podendo levar até 10min, dependendo do seu condicionamento físico. Para subir, evite chinelos ou sandálias, pois o terreno é instável.

Pedra Furada - Jalapão
Pedra Furada – Jalapão. Foto: Ministério do Turismo

Como chegar

A partir de Palmas, cerca de 195 km de estradas asfaltadas levam até Ponte Alta do Tocantins, a principal porta de entrada para o Jalapão. Para chegar à cidade, é necessário seguir pela TO-050 até Porto Nacional e de lá, pela TO-255 até Ponte Alta. Daí em diante, só estradas de terra.

Outra opção de entrada é município de Novo Acordo. Chega-se até ele seguindo pela BR-010 e depois, pela TO-020, também a partir de Palmas.

Para ir até Mateiros, a principal base para a maioria dos atrativos, continue pela TO-255 a partir de Ponte Alta do Tocantins ou pela TO-030 e, depois, TO-255, a partir de Novo Acordo.

Dica importante

Se você, assim como nós, também ficou encantado com as belezas incríveis do Jalapão e já pensa em planejar sua viagem para lá, a dica é utilizar nossa ferramenta de buscas.

Com ela você encontrará os melhores roteiros para sua viagem, totalmente personalizáveis e com suporte de uma equipe especializada durante toda sua viagem. Legal, né? Clica aqui e boa viagem.














Gostou? Compartilhe nas suas Redes Sociais! :)