Há séculos a Etiópia e o Iêmen disputam sobre a origem da bebida mais popular do mundo: o café. Os Etíopes contam que o café teria sua origem nas montanhas da Abissínia, atual Etiópia. Já os Iemenitas consideram que o berço desse bebida teria sido as montanhas do seu país, chamadas de Arabia Félix.

Desde então, diversas lendas rondam sobre essa disputa. Mas fato é que o café continua sendo cultuado na Etiópia como uma bebida sagrada, com direito inclusive, a um longo ritual: a Cerimônia do Café.

Um ritual que vai além de degustar o café

Saborear um café na Etiópia vai muito além de degustá-lo. O ritual inclui desde a torrefação artesanal dos grãos de café, passando pela seleção e lavagem, até a degustação em pequenas xícaras, sempre sem alças, como manda a tradição.

Convidar alguém para participar da Cerimônia do Café é sempre sinal de respeito. Mas o ritual pode levar algum tempo, pois é essencial que o convidado tome no mínimo 3 xícaras, sendo que a terceira é considerada a mais importante.

Como funciona a Cerimónia do Café

Coffee Lady durante cerimônia do café - Foto: grãogourmet.com
Coffee Lady durante cerimônia do café – Foto: grãogourmet.com

O ritual acontece em um ambiente com folhas verdes no piso e perfumado com incenso, e todos se sentam ao redor de um tipo de altar com os instrumentos que serão utilizados.

A participação da Coffee Lady (senhora do café) é essencial, sempre vestida de forma tradicional. Ela é a responsável pela preparação da bebida, já que apenas as mulheres podem realizar o ritual.

Nas mãos elas trazem os instrumentos utilizados: um pequeno forno de cerâmica, em forma circular, com brasas quentes. Os grãos são adicionados em uma placa de ferro, também redonda, para que possam passar pela torrefação.

Torrefação dos grãos de café durante a Cerimônia - Foto: Época (Haroldo Castro)
Torrefação dos grãos de café durante a Cerimônia – Foto: Época (Haroldo Castro)

Depois desse processo, o café é adicionado na Jebena, cafeteira feita de cerâmica artesanal onde enfim, o café é servido.

A Jebena é uma cafeteira típica da Etiópia utilizada para servir o café durante a Cerimônia  - Foto: Revista Época (Haroldo Castro)
A Jebena é uma cafeteira típica da Etiópia utilizada para servir o café durante a Cerimônia – Foto: Revista Época (Haroldo Castro)

O delicioso sabor resultante da torra do café se mistura ao incenso e trazem ao ambiente uma sensação de paz e tranquilidade. Criando assim, uma conexão entre todos os que estão ali.

Onde viver essa experiência

A Cerimonia do Café é um evento cotidiano para os etíopes. Em todos os lugares – seja no hotel, restaurantes, casas e até no Aeroporto, é possível encontrar um desses lugarzinhos especiais para se realizar o ritual.

A importância da bebida é cultural. Não sendo exagero afirmar que o café é um dos traços mais marcantes desse povo.

Em uma época em que os cafés ocidentais são preparados por maquinas, e sempre com muita pressa, participar da cerimônia do café é quase como um momento de desligamento do mundo moderno.

As histórias por trás do café

As evidencias históricas revelam que os primeiros consumidores de café teriam sido, de fato, os monges muçulmanos sufis, em meados do século XV no Iêmen.

Os religiosos teriam comprovado que a semente tostada e moída deixava suas mentes mais estimuladas. E assim, podiam cantar e dançar por horas a fio durante seus rituais sagrados.

Em poucas décadas, graças as exportações no porto iemenita de Mokha, a bebida logo cruzou as fronteiras e tornou-se famosa em todo Oriente Médio e na Europa.


Gostou? Compartilhe nas suas Redes Sociais! :)